2001 – Margueira em que ficamos?

cacilhas6

Projecto 1
“Elipse”(Manhattan de Cacilhas)
Fundo Margueira Capital

300 milhões de contos para construir
40 hectares de terreno para 15 mil habitantes , alojados em edificios com
80 andares, com parques de estacionamento para 20 mil viaturas,
um hotel, um casino,um centro de congressos, um terminal de transportes públicos , um centro comercial, uma piscina e um anfiteatro ao ar livre.
Tudo isto com acessos de primeira que vão desde uma estrada ribeirinha até
Alcochete a uma gare para barcos,autocarros e metropolitano.
“As Torres da Margueira têm a força do que tem de ser. São um futuro
obrigatório porque estão inseridas
numa linha evolutiva de desenvolvimento e progresso “

almadanascente1

Projecto 2
Plano Urbanização Frente Ribeirinha
Câmara Municipal de Almada

Renovar e revitalizar 115 hectares que
englobam uma parte da cidade e uma faixa na Margueira entre Cacilhas e a Cova da Piedade.
A componente ambiental é um factor determinante, combinando a singularidade e sensibilidade do local, os recursos hídricos, o clima,a geologia, o
testemunho cultural e histórico e a diversidade de usos futuros .
O desenvolvimento do Plano de Urbani-
zação, deve ser entregue a uma Equipa Pluridisciplinar de reconhecido mérito técnico e o processo de selecção deverá fazer-se mediante Concurso Internacional
“Depois de dois anos de diálogos com o Ministério das Finanças, a Câmara
decidiu desencadear um novo processo de planeamento que tem em vista
complementar a construção da cidade,
consolidando-a”in Boletim Municipal 55
memilia

A Presidente da Câmara de Almada recebe Fundo Margueira Capital

Ricardo Nunes do F.M.C. foi recebido
no passado dia 11 por Maria Emilia de
Sousa da CMA.
O encontro serviu para apresentação
formal da Empresa, que passa a laborar em Almada.
O Administrador do Fundo, afirma-se
como “portador de uma mensagem de modernidade para Almada”.
José Manuel Maia da Câmara declara
que “ o município tem competências quanto ao uso dos solos e apresenta um plano de urbanização para toda a zona
ribeirinha onde estão incluidos os terrenos da Margueira”.
locatemedia.aspx
A conferência “Ulissul 2001 – Abrir Lisboa ao Sul” organizada pela sociedade gestora
do Fundo Margueira Capital, veio trazer a Almada uma baforada de ideias novas ,capazes
de nos transportar para um futuro digno de ficção.
Mas as verdadeiras inovações deram-se no plano de “outras ideias” já que a secretária de
Estado da Habitação,veio aqui dizer, que é favorável à proposta da Câmara de Almada de
elaboração de um plano de urbanização para a zona ribeirinha, numa área de 115 hectares abrangendo os terrenos entre a Margueira e a Cova da Piedade, o que inclui 49 mil metros
quadrados dos antigos estaleiros da Lisnave.
Leonor Coutinho referiu que qualquer solução urbanística “deverá respeitar a legislação
em vigor”e que “devem ser equacionadas diversas opções urbanisticas”.
Posteriormente em declarações à Lusa, o presidente do Fundo, Ricardo Nunes, afirma
que em resposta ao desafio lançado pela secretária de Estado da Habitação, a sociedade
gestora vai propor duas alternativas ao actual projecto, como um bairro social de prédios
de 4 pisos e um jardim com uma torre de 120 andares.
As novas alternativas, apresentam densidades de construção muito inferiores às da
controversa “Manhattan de Cacilhas”.

Gabriel Quaresma

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s