galeria 2006 Alexandre Castanheira figura ilustre de Almada

cast1
catedral.webblog

Alexandre Castanheira,nasceu em 1928. Licenciou-se em Histórico-Filosóficas na Faculdade de Letras de Lisboa e em Literatura Moderna na Universidade de Paris VIII.
Militante do MUDJ e depois do PCP , funcionário do partido, representante do PCP em França, e membro do CC desde meados dos anos cinquenta até ao fim da década de sessenta, altura em que se afastou da militância partidária activa, publicou uma autobiografia com o título Outrar-se ou a Longa Invenção de Mim, Porto, Companhia das Letras, 2003.

Alexandre Castanheira tem o curso de Histórico-Filosóficas da Faculdade de Letras de Lisboa. Poeta, desde sempre se interessou pela divulgação da poesia, fazendo recitais em escolas, colectividades, festas em todo o País. Exilado em França, licenciou-se em Literatura Moderna e alarga a divulgação da poesia moderna e contemporânea aos círculos de portugueses imigrados em França. Regressado a Portugal, começa finalmente a publicar a sua obra, em que se destacam, em poesia, os volumes Poesia… sem Distanciação e Desilusão Optimista a par de outros livros como teatro, crónicas, ensaio e contos. Com o ensaio “Camões, Nosso Contemporâneo” ganha o Concurso Literário do IV Centenário de Camões, promovido pela Câmara Municipal de Almada, por decisão de um júri presidido pelo Prof. Doutor Óscar Lopes. Multiplicam-se em seguida os recitais de poesia não só em Portugal como na Galiza (Vigo, Baiona, Universidade de Santiago de Compostela) e as conferências-recital dedicadas a Antero de Quental, Guerra Junqueiro, Mário Sá-Carneiro, Manuel da Fonseca, Sidónio Muralha, Fernando Pessoa, entre outros. Professor na Escola Superior de Educação Jean Piaget, de Almada, cidade de onde é natural, nos vários cursos do Básico 2.º Ciclo e no de Animadores Socioculturais, participou com comunicações em quase todos os encontros e congressos organizados pelo Instituto Piaget. São algumas delas que a Editorial Piaget tem o prazer de editar agora, cônscia de que é uma boa contribuição que assim dá à divulgação da Poesia no seu relacionamento com a vida e o Homem do nosso tempo, a que Alexandre Castanheira dá tanta importância. ALEXANDRE CASTANHEIRA é professor jubilado do Instituto Piaget, tendo leccionado na Escola Superior de Educação Jean Piaget de Almada, onde continua ligado ao cancioneiro e à Unidade de Investigação em Antropologia.


sfuap


1998 Homenagem na Incrível Almadense

A última Aula no Jean Piaget


castanheiraxxxxxxxxx

Publicações

Câmara Municipal de Almada – Janeiro 2005
Alexandre Castanheira, poeta e escritor almadense, apresentou a sua última obra – “Outrar-se ou a longa invenção de mim” – durante uma sessão que decorreu na Sala Pablo Neruda, do Fórum Municipal Romeu Correia.
A apresentação da obra esteve a cargo do poeta e deputado Manuel Alegre, companheiro e amigo do autor, que tal como ele, foi perseguido no anterior regime e esteve exilado em França, até à Alvorada de Abril de 1974.
A obra é uma autobiografia, onde Alexandre Castanheira aborda os tempos da sua infância, de estudante, a entrada na política, a repressão de que foi alvo, a clandestinidade e o exílio.
O autor exerceu, ainda, as funções de deputado municipal e as de presidente da Assembleia de Freguesia do Laranjeiro.
Para além da literatura, Alexandre Castanheira, dedica grande parte do seu tempo à sua grande paixão, que é o ensino. Actualmente, lecciona no Instituto Superior de Ciências “Jean Piaget”, em Almada.

Nada e tudo
Parti numa hora de loucura
e agora longe de ti
vivo arrastado
o desejo da ausente
que vislumbro
e sinto no fundo de mim
presente
resultado do silêncio
disseminado em ondas de calor
inundando este vazio pleno
Entre o nada e o tudo
o que me falta e o que contenho
e o que pressinto de ti
a cada momento te amo
mais e mais e mais
e mais repito ainda
que te direi uma vez mais
como te amo
A sombra deste sol abrasador
fermenta o nosso amor
num cosmos azul profundo
onde te direi
envolta em nuvens de prazer
e felicidade
no momento extraordinariamente preciso
de te apertar enfeitiçado
e magnético
nos braços ávidos de carícias
COMO TE AMO

Alexandre Castanheira, Desilusão Optimista

Elo Associativo nº 20 Agosto 2001 Homenagem a Alexandre Castanheira
 Elo Associativo nº 30 Abril 2003  Troll Urbano Maio 2006
 Alma(da) nossa Terra Agosto 2004  O Sabor das Palavras Setembro 2004
 Maria Rosa Colaço Maio 2006  Boletim CMA Janeiro 2005
 A Página da Educação Julho 2006  Caixa Ressonância
 Catedral Fotografia Memoria da Revolução 2014 Alexandre Castanheira fala de poesia e de 25 de Abril em Castro Marim

LIVROS

livro1
Três ensaios sobre o cancioneiro infanto-juvenil

Três ensaios sobre o cancioneiro infanto-juvenil / Alexandre Castanheira.

– [Reimp.]. – Lisboa : Instituto Piaget, [D.L. 2014]

m_9728407971

Caixa de Resonancia

livro3
Nascemos para amar

Nascemos para amar : (a Bocage) / Alexandre Castanheira ; pref. João Reis Ribeiro. – Laranjeiro : Junta de Freguesia de Laranjeiro, 2013.

Poemas tardios

Poemas tardios : sementes / Manuel da Várzea ; pref. Alexandre Castanheira ; rev. Rui Melancia, João da Cunha Dias. – 1ª ed. – Golegã : Rio Almonda, 2011.

livro4
Uma sereia chamada Ermelinda

Uma sereia chamada Ermelinda / Alexandre Castanheira. – Almada : Junta de Freguesia de Almada, 2011. – 52, [2] p. : il. ; 21 cm. – Ed. âmbito das Comemorações dos 94 anos do nascimento de Romeu Correia, do 22º aniversário da 1ª ed. de “Cais do Ginjal” e do 100º aniversário da Proclamação da República. – Adaptação teatral do romance de Romeu Correia.

Bem me parecia… / Alexandre Castanheira

; il. Mário Nery. – Almada : A. Castanheira, 2009 ([Setúbal] : Armazém de Papéis do Sado). – 64 p. : il. ; 25 cm. – ISBN 978-989-20-1735-8

É a vida!… (Alexandre Castanheira)

6 – É a vida!… / Alexandre Castanheira ; pref. Hélder Castro ; fot. Anabela Luís, Pedro Soares. – Laranjeiro : Junta de Freguesia de Laranjeiro, 2007. – 94 p. : il. ; 25 cm. – ISBN 978-972-97773-3-2

Almada cidade sol, cidade livre (texto Alexandre Castanheira)

7 – Almada cidade sol, cidade livre : pintura de Albino Moura / texto Alexandre Castanheira ; fot. Rosa Reis ; coord. Albino Moura. – Almada : C.M., 2007. – 67 p. : il. ; 30 cm. – Tít. de capa: Almada do meu olhar. – ISBN 978-972-9134-70-8

Conhece a freguesia de Laranjeiro? (Alexandre Castanheira)

8 – Conhece a freguesia de Laranjeiro? / Alexandre Castanheira ; fot. Arquivo da J. F. Laranjeira, Anabela Luis, Alexandre Castanheira. – Laranjeiro : Junta de Freguesia de Laranjeiro, 2005. – 94 p. : il. ; 24 cm. – Edição do 20º aniversário da Junta de Freguesia de Laranjeiro. – Bibliografia, p. 69-70

Não me considero poeta…

(Aureliano do Carmo Cruz)
9 – Não me considero poeta… / Aureliano do Carmo Cruz ; pref. Alexandre Castanheira. – Cabanas de Tavira : Clube Recreativo Cabanense, 2004. – 78 p. ; 21 cm
Adicionar à lista
Outrar-se ou a longa invenção de mim (Alexandre Castanheira)
10 – Outrar-se ou a longa invenção de mim / Alexandre Castanheira. – 1ª ed. – Porto : Campo das Letras, 2003. – 265, [4] p. ; 21 cm. – (Campo da memória ; 11). – ISBN 972-610-688-5

Agenda cultural

(propr. Câmara Municipal de Almada)
12 – Agenda cultural / propr. Câmara Municipal de Almada ; coord. Alexandre Castanheira. – Almada : Câmara Municipal de Almada, [1994?]-. – 15 cm. – Descrição baseada em: nº 4 (jan. 1995). – Bimestral

livro6

Poética e Razão Imaginante – Seis Sentidos e Mais… – Alexandre Castanheira

a25-alexandre-castanheira-2
Abre-se à politica ainda no Liceu Passos manuel, em Lisboa, onde por isso é perseguido pelo Reitor e pelo padre professor de Moral que o denuncia como de perigosas leituras na Biblioteca do Liceu ( andava a lêr “O drama de João Barois”, de Roger Martin du Gard) e o proibem de ali voltar a entrar.

-Adere ao MUD Juvenil em Almada. Durante o seu curso de Histórico- Filosóficas ( Faculdade de Letras de Lisboa) intensifica a sua militância nesse Movimento, ocupando sucessivamente responsabilidades:Comissão Concelhia de Almada, Comissão Distrital de Setúbal, Comissão Central e, funcionário e, como tal controleiro das Comissões do MUD Juvenil dos distritos de Setubal, Évora, Beja e Faro.
– Adere ao Partido Comunista Português em 1947.
– Preso por três vezes sem culpa formada, é levado a tribunal ( O Plenário da PIDE) sob a acusação de ser membro do PCP, mas é absolvido por falta de provas. O facínora presidente dessa farsa de tribunal, afirma publicamente:”desta vez vai em liberdade mas se cá voltar, com provas ou sem provas, fica”.
– É aí que logo se prepara para passar à clandestinidade, o que acontece em 1954
Exilado em França, licenciou-se em Literatura Moderna e alarga a divulgação da poesia moderna e contemporânea aos círculos de portugueses imigrados em França. Regressado a Portugal, começa finalmente a publicar a sua obra, em que se destacam, em poesia, os volumes Poesia… sem Distanciação e Desilusão Optimista a par de outros livros como teatro, crónicas, ensaio e contos.
Alexandre Castanheira tem o curso de Histórico-Filosóficas da Faculdade de Letras de Lisboa. Poeta, desde sempre se interessou pela divulgação da poesia, fazendo recitais em escolas, colectividades, festas em todo o País.
ALEXANDRE CASTANHEIRA é professor jubilado do Instituto Piaget, tendo leccionado na Escola Superior de Educação Jean Piaget de Almada, onde continua ligado ao cancioneiro e à Unidade de Investigação em Antropologia.

Um especial agradecimento ao Fotografo

Dionísio Leitão

Anúncios

Gabriel Quaresma

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s